Gírias Nordestinas


Thaís Stein
Thaís Stein
Bacharel em Publicidade e Propaganda

O nordeste é a região brasileira que contém mais estados, e talvez por isso, seja uma das mais ricas em gírias e expressões.

E quando falamos em gírias do nordeste, temos que saber que apesar de algumas delas serem conhecidas por todo o nordeste, a maioria dos estados tem suas gírias próprias.

Quer conhecer um pouco mais sobre como as pessoas falam no nordeste? Então acompanhe a nossa lista com gírias e expressões nordestinas, divididas por cada estado.

Gírias baianas

Aluado

Quem fica no mundo da lua, que faz muita besteira, fala sem pensar.

Você falou aquilo mesmo com ela? Tu é aluado é?

Barril

É como os baianos chamam algo muito bom. Porém, barril também pode ser usado para falar de algo muito feio.

- Vai ter uma festa barril esse fim de semana.

- Nossa, aquele menino ali é barril demais ein.

Laele

Essa palavra é usada quando um baiano não entende alguma coisa, quando não tem resposta para algo, ou quer negar.

- Fiquei sabendo que você ficou muito doido na festa ontem.

- Laele, eu não.

Migué

É o mesmo que vacilar, enrolar, tentar falar algo só pra convencer alguém.

Você disse que ia aparecer ontem e depois deu mó migué.

Ôxe

Pode ser usado para tudo, é como o “uai” dos mineiros. Dependendo da sua entonação, pode significar surpresa, dúvida, empolgação.

Ôxe, que bom que você veio.

Ôxe, por que você ta nervosa assim?

To na bruxa

É o mesmo que falar que está com raiva.

Não vem falar comigo não que hoje eu to na bruxa.

Gírias sergipanas

Acoitar

É o mesmo que esconder. Também pode ser usado para acolher ou abrigar.

Para de ficar acoitando seu filho assim.

Afolozar

Algo estragado, que não dá mais para usar pois está danificado.

Po, minha camisa ta toda afolozada.

Aperreado

É o mesmo que estar aborrecido, chateado.

To aperreado com a vida hoje.

A pulso

Algo que você tem que fazer contra sua vontade, a força, obrigado.

Minha mãe me manda pra escola a pulso todo o dia.

Bexiguento

Bexiguento é alguém que não vale nada, que não presta.

Aquele menino é bexiguento demais.

Cabrunco

Cabrunco é um modo errado de se falar uma infecção chamada carbúnculo. Aí no Sergipe, essa palavra começou a ser usada como uma ofensa, por exemplo, é chamado de cabrunquento é uma pessoa que é ruim.

Aquele senhor ali é cabrunquento.

Perobo

É um modo de chamar alguém de afeminado.

O menino novo é todo perobo.

Punga

Punga é o modo como os sergipanos chamam o fato de pegar carona em algo em movimento, geralmente segurando na parte de trás do caminhão.

Cuidado na hora de ficar pegando punga.

Gírias alagoanas

Ai dento

Pode ser usada do mesmo modo que o “sai fora” ou “vai se danar”. É uma gíria para negação usada em quase todos os estados do Nordeste.

- Fiquei sabendo que tu ficou de rolo com a Maria.

- Ai dento, nem pensar.

Estribado

Gente rica, com muita grana.

Aquele lá ficou estribado e nunca mais falou com a gente.

Farrapona

Pessoa que marca compromisso com outras e não vai, que fura com os outros.

Fiquei duas horas esperando aquela farrapona e nada.

Iapois

É o modo como os alagoanos dizem sim.

- Bora jogar bola amanhã?

- Ia pois.

Lomba errada

Os alagoanos usam essa gíria para descrever alguma coisa estranha, polêmica.

Viu aquela briga na rua ontem? Mas que lomba errada.

Pagar sapo

Pagar sapo o mesmo que passar vergonha.

Só saí de casa pra pagar sapo hoje.

Peidado

É o mesmo que nervoso, indignado.

Fiquei peidado com minha professora ontem.

Rafamé

É o mesmo que uma pessoa malandra, que não vale nada.

Não confia que aquele ali é rafamé.

Se amostra

Essa gíria é usada para dizer que algo é muito bom.

Aquele hambúrguer ali da esquina se amostra.

Vou chegar

É como eles dizem tchau, é um modo de se despedir.

Ae irmão, vou chegar que já ta tarde.

Gírias pernambucanas

Alma sebosa

É como os pernambucanos chamam alguém ruim, assaltante, coisa só faz coisas ruins para os outros.

To sem celular, um alma sebosa me assaltou semana passada.

Baratinado

Pessoa sem rumo, doida, que não liga pra nada.

To baratinado nessa vida.

Caça rato

Mulher que se envolve com homens que não presta, ladrões.

Julinha é caça rato, nunca vai atrás de alguém que preste.

Dispense

É o modo como os pernambucanos mandam os outros pararem.

Tu não para de falar, vê se dispense.

Estilar

Essa gíria é usada quando você não gosta de uma brincadeira e quer que o outro pare.

Ih, melhor parar que aquele lá estilou.

Mancoso

Uma pessoa que vacila muito, que só faz merda.

Melhor não chamar ele não, o cara é mancoso.

Morgado

Desanimado, fraco, sem gente.

Aquela festa lá ta morgada.

Pala

É o mesmo que mentira. Uma pessoa que mente muito então é chamada de palosa.

Deixa de ser paloso, menino.

Tabacudo

Pessoa besta, que não é muito esperta.

Deixa de ser tabacudo.

Gírias paraibanas

Apombaiado

Pessoa distraída, que nunca entende nada.

Mas gente, como você é apombaiado.

Avechada

Uma pessoa avechada é o mesmo que uma pessoa apressada.

Oxe menina, deixa de ser avechada.

Ficar com a gota

É o mesmo que ficar com raiva, nervoso.

To só a gota hoje.

Mangar

É o mesmo que zoar com alguém. Essa gíria é usada em quase todos os estados do nordeste.

Ô menino, para de mangar com o filho do vizinho.

Peba

Coisa mal feita, desorganizada, ruim ou mixuruca. Essa gíria também é muito usada no Ceará.

Que festinha peba ein.

Só quer ser as pregas

Os paraibanos usam essa expressão para falar de alguém que é metido, que se acha.

Aquela menina só quer ser as pregas.

Gírias do Rio Grande do Norte

Arenga

Significa o mesmo que briga, confusão. A pessoa que briga muito é chamada de arengueiro.

Esse menino não presta, fica arengando o dia todo com os outros.

Buliçoso

Pessoa enxerida, que quer mexer em tudo que vê.

Tu não pode ver nada que já enfia a mão né, moleque buliçoso.

Catimbó

É o mesmo que macumba.

Bati meu pé de novo, deve ser gente fazendo catimbó pra mim.

Jerimum

É o modo como os nordestinos chamam a abóbora.

Vou fazer carne com jerimum de almoço hoje.

Môca

Pessoa que parece surda, que nunca escuta o que os outros falam.

Você ta môca é, to te chamando faz um tempão

Gírias cearenses

Ariado

É o mesmo que dizer que uma pessoa é perdida.

Ih, aquele menino ali é ariado.

Arriégua

É como se fosse o “uai” mineiro ou “oxe” dos baianos. Arriégua não tem um significado próprio, mas pode ser usado para tudo.

Arriégua, mas que é isso?

Arriégua, to muito feliz de te ver.

Baixa da égua

Lugar distante. O termo é usado quando a pessoa está nervosa e quer mandar a outra para longe.

Ah, mas vai pra baixa da égua e me deixa em paz.

Botar boneco

Perturbar, encher o saco dos outros.

João bebeu demais e ta botando boneco aqui na festa.

Cambito

É o mesmo que perna fina.

Olha os cambitinho desse menino, parece que nem come.

Diabeisso

É o modo que os cearenses dizem “que diabo é isso?”, para demonstrar estranhamento ou dúvida.

Diabeisso que você fez no seu cabelo?

Fumando uma quenga

Significa que a pessoa está com muita raiva.

Melhor nem falar com ela que a mulher ta fumando uma quenga hoje.

Negada

É o mesmo que galera, pessoal.

A negada toda vai se juntar lá em casa hoje.

Veja mais Gírias Cearenses aqui!

Gírias piauienses

Batoré

É o mesmo que homem pequeno.

Sério que você quer brigar comigo, seu batoré?

Caçar conversa

É o mesmo que arrumar briga, confusão.

Olha lá o menino caçando conversa com o João.

Fazer muganga

Fazer bagunça, palhaçada. Também pode significar que alguém está de graça para cima dos outros.

Para de muganga pra cima de mulher dos outros, rapaz.

Ficar bestando

Fica a toa, sem fazer nada.

Vem me ajudar, vai ficar bestando o dia todo aí, é?

Fuleragem

Ficar de molecagem.

Deixa de fuleragem, menino.

Galalau

É como eles chamam um homem alto, grande.

Seu pai é um galalau.

Pêia

É o mesmo que porrada, soco, murro.

Você viu a pêia que o Marcos tomou?

Por riba

É o modo como os piauienses falam “por cima”.

Pra que correr tanto assim? Passa por riba logo.

Rebolar no mato

É o mesmo que jogar fora.

Aquele seu sapato ta todo velho, na hora de rebolar no mato.

Gírias maranhenses

Armaria

É uma abreviação para Ave Maria. É usado para expressar espanto, surpresa, ou quando você acha algo muito exagerado.

Armaria, mas precisava disso tudo, é?

Égua

Essa expressão não tem um significado por si só, ela só serve para dar mais destaque no sentimento, seja dúvida, empolgação, susto. Por isso, a entonação em que o “égua” é dito é muito importante. Detalhe que essa gíria também é muito conhecida e falada no Pará.

- Égua, o que você ta fazendo aqui?

- Égua, esse sapato ta apertando meu pé.

Para dar mais ênfase ainda, eles usam “égua doido”.

Esparroso

É algo que chama muita atenção.

Olha a roupa daquela menina ali, toda esparrosa.

Kiu!

Kiu é usado para zombar de alguém, mas também serve para expressar alegria.

Ó o menino caindo ali na rua, kiiiu.

Nigrinha

Nigrinha é o mesmo que fofoqueira, que só sabe falar da vida dos outros.

Deixa de ser nigrinha e vai cuidar da tua vida.

Parêa

É o mesmo que limites, então é dito que a pessoa “não tem parêa” quando ela não tem jeito.

Aff mas tu não tem parêa mesmo ein.

Qualira

É o mesmo que chamar alguém de gay.

Ih, vai ficar de qualiragem aí.

Ralado

Algo chato, ruim, sem gente.

Aquela festa de ontem foi ralada ein.

Rochedo

Quando algo é muito legal, muito maneiro.

Po, aquele show foi rochedo ein.

Agora que você conheceu todas essas gírias nordestinas, veja também:

Thaís Stein
Thaís Stein
Formada em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal do Espirito Santo (UFES).