Gírias Cearenses


Taysa Coelho
Taysa Coelho
Jornalista

Os cearenses têm gírias e expressões regionais que tornam o seu vocabulário único e divertido. Quem não é do estado do Ceará pode ficar perdido ao ouvir um pariceira, rebola no mato ou abirobado.

Para ajudar, preparamos um Dicionário Cearense, que reúne os significados de 35 expressões populares do chamado cearensês.

1. Abirobado

Usado para dizer que uma pessoa é boba, tola, sem juízo. A gíria vem de biroba, que é como os cearenses chamam as éguas.

Deixa de ser abirobado.

2. Afolozado

É o mesmo que frouxo, alargado ou estragado.

Minha blusa está afolozada de tão velha.

3. Ai dento

Pode ser usada do mesmo modo que o “sai fora” ou “vá se danar”. Essa gíria também é usada em outros estados do Nordeste.

Ir naquela palestra chata? Ai dento, nem pensar.

4. Arengar

É o mesmo que brigar, arrumar confusão. Uma pessoa que briga muito é chamada de arengueira.

Seu filho ficou arrumando arenga na escola hoje.

5. Arriégua (ou Arre égua)

Arriégua não tem um significado próprio, mas pode ser usado nos mais diversos contextos, para dar ênfase a uma frase. É como se fosse o “oxe” dos baianos ou o “uai” mineiro.

Arriégua, o que é isso no seu cabelo?

Arriégua, ainda bem que você veio.

6. Arrudiar

Significa dar a volta por algo, fazer o contorno. Também pode ser usado para mandar alguém embora.

Está difícil passar por aí, vou arrudiar.

7. Baixa da égua

Um lugar muito longe. Normalmente, é usado quando a pessoa está nervosa e quer mandar outra embora.

Vai para a baixa da égua, menino chato.

8. Bichinho

Forma de tratamento carinhosa, usada principalmente com crianças. Também é utilizada em outros estados do Nordeste.

- Por que seu filho não foi para a escola hoje?

- O bichinho ficou doente.

9. Bonequeiro (ou bunequeiro)

No Ceará, “botar boneco” é o mesmo que fazer confusão por pouco, dificultar, perturbar. Por isso, bonequeiro (ou bunequeiro) é como costumam chamar alguém gosta de causar confusão.

Se for só para botar boneco melhor ficar em casa.

10. Cabra

Gíria usada para se referir de forma genérica a alguém, geralmente do gênero masculino.

Quem foi o cabra de sorte que ganhou na loteria?

11. Cambito

Sinônimo de pernas finas.

Depois que emagreceu, o João ficou com uns cambitinhos.

12. Cumbuca

É o mesmo que vasilha, pote pequeno. Originalmente, eram chamados de cumbuca os vasos feitos de cabaça, com um furo em cima, usados para pegar água.

Maria, pega para mim essa cumbuca aí em cima da mesa.

13. Curubau

Forma pejorativa de se referir ao povão. A gíria vem da palavra curuba, um sinônimo de sarna.

A minha sala esse ano é só curubau.

14. Destrambelhado

É o mesmo que atrapalhado.

Valha, esse menino destrambelhado derrubou tudo!

15. Diabeisso

É o modo que os cearenses dizem “que diabo é isso?”. Uado para demonstrar estranhamento ou dúvida.

Diabeisso que você fez no seu cabelo?

16. Estrambólico

É o mesmo que estranho, esquisito ou extravagante.

Que maquiagem estrambólica é essa?

17. Estribado

Uma pessoa poderosa, rica, que tem muito dinheiro.

Caiu meu pagamento e estou toda estribada hoje.

18. Frescar

Significa brincar, tirar onda com alguém ou debochar de alguém.

Pare de frescar com a minha cara.

19. Fumando numa quenga

Significa que a pessoa está nervosa, com muita raiva.

Meu chefe chegou fumando numa quenga hoje.

20. Gato véi

Pessoa feia, sem estilo ou mal vestida.

Menina, acho que aquele gato véi está dando em cima de você.

21. Ispilicute

Usado para falar que sobre uma pessoa engraçadinha, bonitinha, fofinha. Tem origem na expressão da língua inglesa "She is pretty cute", que significa "Ela é muito bonitinha".

A filha da Joana é ispilicute, né?

22. Lapada

Significa bater, dar uma surra. Também pode ser usado no sentido figurado.

Menino, se não me obedecer vai levar uma lapada.

Meu time tomou uma lapada ontem. Tomou cinco gols.

23. Mah ou má

É uma abreviação da palavra “macho”. É usado para chamar as pessoas, assim como o “mano”, “irmão” ou “brother”.

Mah, aparece lá em casa hoje que vou fazer bolo.

24. Mangar

É o mesmo que zoar, fazer graça com a cara de alguém. Essa gíria é usada em quase todos os estados do Nordeste.

Ô menino, para de mangar do filho do vizinho.

25. Pariceira

O mesmo que amigo, parceiro. Geralmente é usado pelos pais, ao falar com os filhos que eles não devem ser tratados do mesmo modo como seus amigos.

Fala direito comigo que não sou sua pariceira.

26. Peba

Sinônimo de algo ruim, malfeito ou de qualidade inferior. Também pode ser usado para se referir a produtos falsificados.

Esse seu trabalho aqui está uma peba.

27. Pebado

Estar pebado é o mesmo que estar lascado, que ter se dado mal em alguma situação.

Se minha mãe me pegar eu to pebado.

28. Pêia

É o mesmo que soco, murro, sova.

Se aparecer aqui de novo eu te dou uma pêia.

29. Queima quengaral

Expressão usada quando se vê alguma confusão acontecendo. É uma espécie de incentivo à briga.

Olha lá as duas mulheres discutindo. Queeeima quengaral!

30. Racha

Forma como os cearenses chamam uma partida de futebol informal, uma pelada em um campo improvisado.

Você vai no racha no domingo?

31. Rebolar no mato

É o mesmo que jogar fora, jogar algo no lixo.

Está na hora de rebolar essa blusa no mato, está muito velha.

32. Respeite

Palavra usada para reforçar algo que é muito bom ou que se gosta muito.

Mulher, respeite meu vestido novo!

33. Sibite baleado

Usado para se referir a uma pessoa muito magra ou que tem as pernas finas. A gíria é uma referência a um pequeno pássaro do Nordeste chamado popularmente de sibite.

Essa menina não come não? Parece um sibite baleado.

34. Só o buraco e a catinga

Estar “só o buraco e a catinga” é o mesmo que estar acabado, destruído.

Fui para a festa ontem e hoje acordei só o buraco e a catinga.

35. Valha

É outra expressão muito usada para representar espanto, surpresa ou mesmo admiração. Funciona do mesmo modo que “nossa” ou “vixe”.

Valha, mas precisava dessa ignorância toda?

36. Visage

Sinônimo de fantasma, assombração.

Sai daqui, visage!

Agora que você conheceu essas gírias cearenses, veja também:

Taysa Coelho
Taysa Coelho
Movida pela curiosidade, adora conhecer coisas novas e acredita que, por isso, se tornou jornalista. No tempo livre, gosta de ir à praia, ler, ver filmes e maratonar séries. Carioca formada pela UFRJ, atualmente vive em Portugal, país que adotou.